Pular para o conteúdo principal

"A dor do abandono"






Era uma manhã de sol quente e céu azul quando o humilde caixão, contendo um corpo sem vida, foi baixado à sepultura.

De quem se trata? Quase ninguém sabe.

Muita gente acompanhando o féretro? Não. Apenas umas poucas pessoas.

Ninguém chora. Ninguém sentirá a falta dela. Ninguém para dizer adeus ou até breve.

Logo depois que o corpo desocupou o quarto singelo do asilo, onde aquela mulher havia passado boa parte da sua vida, a moça responsável pela limpeza encontrou em uma gaveta ao lado da cama, algumas anotações.

Eram anotações sobre a dor...

Sobre a dor que alguém sentiu por ter sido abandonada pela família num lar para idosos...

Talvez o sofrimento fosse muito maior, mas as palavras só permitem extravasar uma parte desse sentimento, grafado em algumas frases:

Onde andarão meus filhos?
Aquelas crianças sorridentes que embalei em meu colo, alimentei com meu leite, cuidei com tanto desvelo, onde estarão?
Estarão tão ocupadas, talvez, que não possam me visitar, ao menos para dizer “Olá, mamãe”?
Ah! Se eles soubessem como é triste sentir a dor do abandono... A mais deprimente solidão...
Se ao menos eu pudesse andar... Mas dependo das mãos generosas dessas moças que me levam todos os dias para tomar sol no jardim... Jardim que já conheço como a palma da minha mão.
Os anos passam e meus filhos não entram por aquela porta, de braços abertos, para me envolver com carinho...
Os dias passam... E com eles a esperança se vai...
No começo, a esperança me alimentava, ou eu a alimentava, não sei...
Mas, agora... Como esquecer que fui esquecida?
Como engolir esse nó que teima em ficar em minha garganta, dia após dia?
Todas as lágrimas que chorei não foram suficientes para desfazê-lo.
Sinto que o crepúsculo desta existência se aproxima...
Queria saber dos meus filhos...
Dos meus netos...
Será que ao menos se lembram de mim?
A esperança, agora, parece estar atrelada aos minutos... que a arrastam sem misericórdia... para longe de mim.
Às vezes, em meus sonhos, vejo um lindo jardim...
É um jardim diferente, que transcende os muros deste albergue e se abre em caminhos floridos que levam a outra realidade, onde braços afetuosos me esperam com amor e alegria...
Mas, quando eu acordo, é a minha realidade que eu vejo... Que eu vivo... Que eu sinto...
Um dia alguém disse que a vida não se acaba num túmulo escuro e silencioso. E Esse Alguém voltou para provar isso, mesmo depois de ter sido crucificado e sepultado...
E essa é a única esperança que me resta...
Sinto que a minha hora está chegando...
Depois que eu partir, gostaria que alguém encontrasse essas minhas anotações e as divulgasse.
E que elas pudessem tocar os corações dos filhos que internam seus pais em asilos, e jamais os visitam...
Que eles possam saber um pouco sobre a dor de alguém que sente o que é ser abandonado...


A data assinalada ao final da última anotação, era a data em que aquela mãe, esquecida e só, partiu para outra realidade.

Talvez tenha seguido para aquele jardim dos seus sonhos, onde jovens afetuosos e gentis a conduzem pelos caminhos floridos, como filhos dedicados, diferentes daqueles que um dia ela embalou nos braços, enquanto estava na Terra.

Comentários

  1. Lindo texto,só quem passa por algum tipo de abandono pode avaliar essa dor!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Que bom que você chegou até aqui.
Fiquei super feliz com sua visita...vou amar ler seu comentário.

** Deixe o link do seu blog para que eu possa retribuir sua visita.

Postagens mais visitadas deste blog

"Bolsa porta moeda em crochê"

Olá meninas(os)tudo tranquilo? Hoje venho mostrar essa fofura que estou louca para fazer e se você também se encantou corre e faz também ,o tutorial você encontra aqui ,beijinhos e atê a próxima.

Boneca de pano para uma princesa

Eu ando sumidinha mas só nas postagens,todos os dias sempre dou uma passada nas amigas aqui tão talentosas,hoje venho postar uma arteirice bem principiante,minha sobrinha de oito anos me pediu uma boneca de pano,isso foi no domingo passado e eu como tia coruja que sou fui no mesmo instante procurar na net moldes de boneca de pano e apareceram tantas ... Eis aqui a minha arteirice...rs...espero que gostem, ela(minha sobrinha amou)...ufa que bom....


Eis aqui os moldes da boneca de pano...só não lembro o local que retirei estes moldes,caso você saiba pode postar a origem que eu darei os créditos para a mesma...

Colcha de retalhos de cetim já terminada,aff

Enfim meninas terminei minha colcha de retalhos que estava quase dando cria,rs.... Segue as fotos,espero que gostem...